Buraco na fuselagem obriga Boeing a fazer pouso forçado nas Filipinas

Um Boeing 747 da companhia australiana Qantas realizou nesta sexta-feira um pouso de emergência no aeroporto de Manila devido a um imenso buraco na fuselagem, sem causar vítimas.

AFP |

Vários passageiros contaram que, depois de ouvir um barulho muito alto, o avião, que voava entre Londres e Melbourne, via Hong Kong, sofreu uma queda de mais de 6.000 metros.

A Qantas indicou que não há nenhum ferido entre os 346 passageiros e 19 membros da tripulação. O aparelho teve de aterrissar depois da forte despressurização devido a um buraco na fuselagem logo após decolar de Hong Kong, indicou Ding Lima, chefe de operações do aeroporto de Manila.

"O comandante pediu imediatamente à torre de controle (de Manila) uma aterrissagem de emergência e foi autorizado", indicou Lima.

"Nós ouvimos um ruído tremendo, o aparelho tremeu todo e as máscaras de oxigênio caíram", contou a passageira June Kane.

"Aí nos disseram que havia um buraco numa das portas, mas quando olhei para fora, vi um buraco enorme no avião, à altura da asa", acrescentou. "O buraco media uns dois metros por quatro, e acho que algumas malas chegaram a cair por ele".

Segundo as primeiras inspeções, foi constatado um buraco na fuselagem, confirmou o diretor da Qantas, Geoff Dixon.

"Há um grande buraco de três metros de diâmetro na fuselagem do aparelho, junto à asa direita", informu Lima.

O aparelho, o vôo QF30, havia decolado de Hong Kong às 09H00 locais e tinha previsto aterrissar em Melbourne às 11H45, segundo o site da Qantas.

Lorena Dimaya, porta-voz da Qantas em Manila, garantiu que o acidente não representou ameaça de vida para os passageiros.

Segundo um passageiro inglês, Robin McGeechan, de 42 anos, ninguém foi tomado pelo pânico.

"O mais traumático foi quando descemos do avião e vimos o buraco", comentou, por sua vez, Phil Rescall, um inglês de 40 anos que viajava para a Austrália. "Foi quando nos demos conta da sorte que tivemos".

As causas do acidente estão sendo averiguadas.

Qantas informou ainda que um avião extra seria colocado à disposição dos passageiros para levá-los para Melbourne na madrugada de sábado.

A companhia enfatizou que o aparelho 747-400 envolvido nesse acidente não foi o mesmo utilizado pelo Papa Bento XVI em sua partida da Austrália durante a recente visita a Sydney por ocasião da realização das Jornadas Mundiais da Juventude.

mm-ns/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG