Bulgária manda soltar ex-premiê do Kosovo detido ao entrar no país

Sófia, 25 jun (EFE).- Um tribunal búlgaro decidiu hoje soltar o ex-primeiro-ministro do Kosovo Agim Ceku, detido na quarta-feira por ordem da Interpol (Polícia internacional) ao tentar entrar na Bulgária.

EFE |

O tribunal regional de Kyustendil, cerca de 80 quilômetros ao oeste de Sófia, decidiu, após uma longa deliberação, soltar o ex-comandante do Exército de Libertação do Kosovo (UCK), reivindicado por uma corte sérvia que o condenou a 20 anos de prisão por crime de genocídio.

Mais cedo, a Promotoria retirou seu pedido de prolongar a detenção durante 40 dias para que as autoridades búlgaras decidissem sobre o pedido de extradição da Sérvia e disse que faltam provas de que Ceku tenha cometido os crimes dos quais é acusado.

Fontes judiciais disseram à Agência Efe que as autoridades búlgaras devolveram a Ceku o passaporte, mas o ex-primeiro-ministro kosovar não poderá deixar o país nos próximos três dias, o prazo que a Promotoria tem para apelar da decisão do tribunal.

Ceku forneceu um endereço em Sófia onde pode ser encontrado e a Embaixada da Albânia deu garantias de que o ex-guerrilheiro não sairá da Bulgária.

O presidente do Kosovo, Fatmir Sejdiu, afirmou que "esta detenção não deveria ter ocorrido" e assegurou que Belgrado provoca este tipo de situações por não conseguir deter o processo de reconhecimento internacional da independência da ex-província sérvia.

Sejdiu disse que pediu à Interpol que ignore os pedidos de detenção da Sérvia contra dirigentes kosovares.

Por sua vez, o primeiro-ministro do Kosovo, Hashem Thaçi, acusou Belgrado de querer prejudicar a imagem do país e explicou que este episódio não afetará as relações com a Bulgária. EFE vp/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG