Bulgária declara alerta máximo nos correios após suspeita de pacote-bomba

Após investigação, país concluiu que não havia explosivos em correspondência endereçada a embaixador de Israel

EFE |

O governo da Bulgária anunciou nesta sexta-feira o chamado "código vermelho", alerta máximo de controle e segurança em todas as agências de correio, após detectar um suposto pacote-bomba destinado ao embaixador de Israel no país.

Na manhã de sexta-feira, a polícia isolou os arredores da agência em pleno centro de Sófia, depois que um funcionário da embaixada de Israel suspeitou de uma encomenda dirigida ao embaixador Noah Gal Gendler.

Especialistas da polícia búlgara investigaram o caso e anunciaram que o pacote não continha explosivos.

Por causa da série de pacotes-bomba enviados nesta semana na vizinha Grécia, as autoridades búlgaras anunciaram um plano especial, que inclui comunicação intensiva com serviços de inteligência de outros países, para prevenir possíveis atentados, além de reforçar a vigilância e usar raio x em todas as correspondências.

Na quinta-feira, a polícia grega detonou um pacote-bomba endereçado à Embaixada da França em Atenas. A explosão controlada foi realizada do lado de fora de uma empresa de entrega de remessas. Uma fonte da polícia confirmou que o pacote continha uma bomba, escondida em um livro grande.

No dia anterior, a Grécia suspendeu por 48 horas a remessa de correspondências e pacotes pelo correio, numa tentativa de deter o envio de bombas por militantes, depois que mais de uma dezena foi endereçada a embaixadas e governos estrangeiros.

Pequenas bombas explodiram na terça-feira nas embaixadas da Rússia e da Suíça em Atenas, um pacote com explosivos foi interceptado no gabinete da primeira-ministra alemã, Angela Merkel, e um outro que era endereçado ao primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, pegou fogo quando era verificado.

O governo da Grécia diz que as investigações apontam até o momento para grupos gregos de extrema esquerda e anarquistas.

    Leia tudo sobre: explosãogréciaatenasterrorismobombasbulgária

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG