Buenos Aires ficou encoberta por uma densa camada de fumaça causada pela queima intencional de pasto que afeta 70.000 hectares agrícolas das proximidades, obrigando o fechamento de estradas e a paralisação dos aeroportos e portos da Argentina, e também prejudicando a visibilidade do vizinho Uruguai.

A presidente Cristina Kirchner culpou os setores ligados à produção agropecuária pelo estranho fenômeno. O ministro do Interior, Florencio Randazzo, afirmou que "há 70.000 hectares de campo em chamas na zona do Delta do Rio Paraná", no norte da capital argentina, e também responsabilizou o setor agropecuário pelos incêndios.

Segundo Randozzo, são aproximadamente 300 os focos de fogo detectados que estão sendo combatidos por bombeiros e aviões hidrantes.

"As queimadas são feitas para renovar os pastos para a criação de gado a custo baixo e os responsáveis são os produtores agropecuários que não medem as consequências para lucrar sempre mais", explicou.

A fumaça obrigou o fechamento das principais estradas argentinas que ligam o país ao Brasil, Paraguai e Uruguai, prejudicando a circulação de milhares de caminhões.

As operações de pouso e decolagem foram suspensas no aeroporto da cidade de Buenos Aires por falta de visibilidade, já no aeroporto internacional de Ezeiza não foram registrados problemas.

A guarda costeira fechou, preventivamente, os portos da capital e de outros três terminais. Viagens de ônibus para o interior do país foram suspensas também devido à pouca visibilidade.

bur/cl/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.