Bruxelas prevê recessão severa e mais desemprego na zona euro em 2009

O Produto Interno Bruto (PIB) da zona euro terá este ano uma recessão severa, de 1,9%, que será acompanhada por um forte aumento dos déficits públicos e um claro aumento do desemprego, que passará de 10% em 2010, anunciou nesta segunda-feira a Comissão Européia.

AFP |

A Comissão prevê assim o primeiro recuo anual da economia desde à criação da zona euro, em 1999, embora antecipe que em 2010 a zona euro, integrada por 16 países, terá um ligeiro crescimento, de 0,4%.

O desemprego deve subir para 7,5% em 2008 e para 10,2% em 2010, superando pela primeira vez em dez anos os 10%.

"As medidas de estabilização do mercado financeiro, de flexibilização das políticas monetárias e os planos de reativação econômica nos permitirão frear a deterioração da economia este ano e criar as condições para uma aceleração gradual no decorrer do segundo trimestre do ano", comentou o comissário europeu para Assuntos Econômicos, Joaquín Almunia.

"A adoção eficaz destas medidas deve ser nossa prioridade", acrescentou.

Bruxelas revisou claramente em baixa suas previsões anteriores, publicadas no início de novembro, quando previa crescimento de 0,1% do PIB para 2009 e de 0,9% para 2010.

Estas previsões são, além disso, muito mais pessimistas que as publicadas anteriormente pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) e pelo Banco Central Europeu (BCE), de queda de 0,5% do PIB em 2009, e pela Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômicos (OCDE), de baixa de 0,6%.

Bruxelas previu que sobre todas estas previsões pesam ainda "grandes incertezas" pois a economia mundial está atravessando a maior crise desde à I Guerra Mundial.

Entre as grandes econômicas da zona euro, a contração do PIB ficará em 2009, segundo as previsões da Comissão Européia, em 2,3% na Alemanha, 2% na Itália e na Espanha, e 1,8% na França.

Esta recessão será acompanhada do aumento de três pontos da taxa de desemprego de agora até o final de 2009.

Se as previsões forem confirmadas, o desemprego passará de 7,5% em 2008 para 10,2% em 2010, ultrapassando a barreira dos 10% pela primeira vez desde 1998.

Em 2010, o desemprego chegará a 8,1% na Alemanha, 8,7% na Itália, e 10,6% na França e 18,7% na Espanha, segundo estas previsões.

Bruxelas também previu um forte aumento dos déficits públicos na zona euro, que ficarão em 1,7% do PIB em 2008, 4% em 2009 e 4,4% em 2010.

Este ano, o déficit público alemão chegará a 4,2% do PIB nacional, 3,5% na Itália, 5% na França, e 5,7% na Espanha e 13% na Irlanda.

A inflação, pelo contrário, deve sofrer desaceleração na zona euro, passando de 3,3% em 2008 a 1% em 2009, e voltar a subir para 1,8% em 2010, sem ultrapassar da meta de 2%a do Banco Central Europeu (BCE).

slb/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG