Brown se mostra disposto a formar Governo de coalizão no R.Unido

Londres, 7 mai (EFE).- O primeiro-ministro britânico e líder do Partido Trabalhista, Gordon Brown, está disposto a formar um Governo de coalizão caso nenhum partido obtenha a maioria absoluta nas eleições gerais realizadas hoje no Reino Unido, informam fontes oficiais citadas pela agência "Press Association".

EFE |

Londres, 7 mai (EFE).- O primeiro-ministro britânico e líder do Partido Trabalhista, Gordon Brown, está disposto a formar um Governo de coalizão caso nenhum partido obtenha a maioria absoluta nas eleições gerais realizadas hoje no Reino Unido, informam fontes oficiais citadas pela agência "Press Association". As mesmas fontes, também citadas pela "BBC", indicam que Brown considera que o Governo no poder tem prioridade de formar uma Administração mesmo sem uma ampla maioria de cadeiras. Brown pode argumentar que um Governo majoritário de coalizão seria melhor em momentos de incerteza econômica do que uma administração minoritária, segundo as fontes. Nesse sentido, o secretário de Negócios, Peter Mandelson, disse hoje à cadeia "Sky News" que o Partido Trabalhista está disposto a fazer um acordo com os liberais-democratas (terceiro partido do país) para impedir a chegada dos conservadores ao poder. Por sua vez, o ministro de Assuntos Exteriores britânico, David Miliband, declarou hoje que, sem uma maioria absoluta no Parlamento, "nenhum partido tem o direito moral a um monopólio do poder". Miliband comentava assim à emissora "Sky News" as pesquisas boca-de-urna divulgadas após as eleições gerais de hoje no Reino Unido e que indicam que o Partido Conservador seria o grupo que obteria mais cadeiras no Parlamento, mas não alcançaria a maioria absoluta. Já o porta-voz de Economia dos conservadores, George Osborne, afirmou hoje à emissora "ITV" que os eleitores britânicos rejeitaram ao Trabalhismo no pleito da quinta-feira e afirmou que seria "assombroso" que o primeiro-ministro, Gordon Brown, quisesse aferrasse ao poder. "A ideia que Gordon Brown, David Miliband e o resto deles possam se prender ao poder é algo que muita gente acharia realmente assustador", destacou Osborne. A Comissão Eleitoral britânica informou hoje que realizará uma investigação "exaustiva" para determinar o motivo pelo qual centenas de cidadãos britânicos não conseguiram votar após fazer filas de até três horas. Centenas de britânicos aguardaram em vão para votar após longas esperas em colégios eleitorais do Reino Unido, que decidiram não prolongar a hora do fechamento prevista para as 22h local (18h de Brasília), informou a emissora "BBC". Uma pesquisa boca-de-urna emissoras "BBC", "ITV News" e "Sky News" constata a vitória dos conservadores com 305 cadeiras no Parlamento, 21 a menos do necessário para conseguir a maioria absoluta. Segundo a mesma pesquisa, os trabalhistas obteriam 255 cadeiras e os liberais-democratas ganhariam 61 cadeiras, enquanto os demais partidos reuniriam 29 assentos. EFE vg/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG