Por Matt Falloon LONDRES (Reuters) - O primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, se desculpou nesta quinta-feira por emails ofensivos sobre líderes da oposição enviados por um de seus assessores mais influentes, numa tentativa de contornar um escândalo antes da divulgação do orçamento na próxima semana.

O assessor Damian McBride foi forçado a renunciar no sábado e o escândalo ameaçou qualquer ganho de popularidade que Brown possa ter conseguido ao sediar o encontro do G20 em Londres, quando intermediou um plano de 1,1 trilhão de dólares para resgatar a economia global.

A renúncia de McBride também deixou Brown sem um de seus mais confiáveis, e temidos, assessores, no que deve ser uma apertada campanha eleitoral no ano que vem. As eleições estão marcadas para 2010, e o Partido Trabalhista de Brown tropeça nas pesquisas de intenção de voto.

"Sinto muito pelo que aconteceu", disse Brown durante em visita a Glasgow.

"Quando vi pela primeira vez, fiquei horrorizado, chocado e muito indignado, claro. A pessoa responsável se foi imediatamente", acrescentou.

"Eu assumo responsabilidade total pelo que aconteceu", afirmou o premiê.

Ataques ofensivos infundados sobre o líder do Partido Conservador, David Cameron, de oposição, e seu porta-voz econômico, George Osborne, enviados por McBride a um partidário do Trabalhista foram revelados por um blogueiro na semana passada e causaram indignação.

Brown espera que o pedido de desculpas coloque um ponto final na questão antes da divulgação do orçamento do governo britânico, na quarta-feira, que deve ser um dos mais apertados em décadas devido à crise global e a crescente dívida pública.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.