Brown recebeu Olmert para conversar sobre processo de paz no Oriente Médio

Londres, 16 dez (EFE).- O primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, recebeu hoje em Londres seu colega israelense, Ehud Olmert, para conversar sobre o processo de paz no Oriente Médio, após ter se encontrado na última segunda com o palestino Salam Fayyad.

EFE |

Durante o café da manhã de trabalho em Downing Street, que durou cerca de uma hora e meia, Brown e Olmert analisaram a situação na região e os dois expressaram "seus compromissos para realizarem todos os progressos possíveis", informou um porta-voz oficial.

Segundo a fonte, Brown se referiu aos assentamentos de colonos israelenses em território palestino, que seu Governo vê como um obstáculo para o progresso do processo de paz, e também fez alusão à importância de promover a economia palestina.

O primeiro-ministro do Reino Unido já recebeu ontem seu colega palestino, Salam Fayyad, com quem também discutiu o processo de paz e, sobretudo, da economia palestina.

Fayyad viajou para Londres para participar, até hoje, no Fórum sobre Comércio e Investimento na Palestina promovido pelo Governo britânico, no qual empresários dos dois países podem analisar as oportunidades de negócio neste território.

No final da reunião com Fayyad, Brown defendeu uma Palestina economicamente viável como passo fundamental para a constituição de um Estado palestino sólido e conseguir um acordo de paz durável e estável no Oriente Médio.

A visita de Fayyad e Olmert a Londres acontece no meio dos problemas da Autoridade Nacional Palestina para pagar o salário de seus funcionários, por causa do bloqueio que mantém o Governo israelense sobre a transferência de fundos para a Faixa de Gaza.

Brown se pronunciou ontem sobre o bloqueio geral da Faixa e disse que, do ponto de vista de seu Governo, "é uma barreira que evita alcançar o acordo que todos acreditam que seja possível".

A visita dos líderes israelense e palestino coincide com a esperada adoção pelo Conselho de Segurança da ONU de uma nova resolução de apoio ao processo de paz entre palestinos e israelenses, a primeira deste tipo que a entidade analisa em cinco anos. EFE jm/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG