Brown rebate críticas e defende sistema de saúde britânico

Londres, 13 ago (EFE).- O primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, e sua mulher, Sarah, aderiram a uma campanha na internet em defesa do sistema público de saúde britânico, em resposta aos ataques recebidos por parte dos republicanos nos Estados Unidos.

EFE |

O NHS, sigla em inglês para Sistema Nacional de Saúde, foi chamado de "sociabilizante e orwelliano" por membros do Partido Republicano que criticam os planos do presidente americano, Barack Obama, de reformar o sistema sanitário do país para aproximá-lo de um modelo mais parecido com o de nações europeias.

As críticas atingiram o orgulho dos britânicos, que, apesar de serem os primeiros a se queixar com frequência do serviço prestado, decidiram defender o NHS.

Há alguns dias circula no Twitter uma campanha em defesa do NHS, com o nome "welovetheNHS", que recebeu tantas adesões, entre elas a de Gordon Brown e da esposa, que a rede social caiu na quarta-feira durante várias horas.

Os políticos britânicos são pouco inclinados a entrar em polêmicas com seus aliados americanos, mas nesta ocasião Downing Street se pronunciou e em sua mensagem Brown fez uma dramática defesa da saúde pública britânica.

"Frequentemente o NHS marca a diferença entre a dor e o consolo, entre o desespero e a esperança, entre a vida e a morte. Obrigado por estar sempre aí", escreveu o primeiro-ministro.

O físico Stephen Hawking também saiu em defesa do sistema de saúde britânico.

Na quarta-feira, ao receber de Obama a Medalha Presidencial da Liberdade, que é o reconhecimento civil mais importante nos EUA, o cientista, que sofre de esclerose lateral amiotrófica ou doença de Lou Gehrig, aproveitou para afirmar que "se não fosse pelo NHS, não estaria hoje aqui". EFE fpb/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG