Londres, 16 jun (EFE).- O primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, qualificou hoje de inaceitável a campanha de intimidação do presidente do Zimbábue, Robert Mugabe, contra a oposição, às vésperas do segundo turno das eleições presidenciais do país, que será realizado no próximo dia 27.

Na entrevista coletiva conjunta realizada hoje com o presidente americano, George W. Bush, em Londres, Brown disse que não se deve permitir ao regime de Mugabe "fraudar as eleições", e pediu ao país africano que aceite observação internacional para garantir um pleito "livre e justo".

"Nas últimas semanas, sob o regime de Robert Mugabe, cada vez mais desesperado e criminoso, 53 pessoas foram mortas; 2 mil foram feridas e 30 mil foram deslocados, e os líderes da oposição foram detidos, incluindo Morgan Tsvangirai", ressaltou o chefe do Governo britânico.

"Isto é totalmente inaceitável. Não se deve permitir a Mugabe fraudar as eleições, que serão realizadas em menos de duas semanas", acrescentou.

Na semana passada, o Movimento para a Mudança Democrática (MDC, na sigla em inglês), liderado por Tsvangirai, denunciou o confisco de dois automóveis utilizados para a campanha eleitoral, em um novo ato de intimidação do Governo, temeroso de que Mugabe seja novamente derrotado, tal como ocorreu no primeiro turno das eleições, em março. EFE vg/gs

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.