Brown quer mudar regras de sucessão ao trono da Inglaterra

Londres, 27 mar (EFE).- O primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, negocia atualmente com o palácio de Buckingham o fim da lei que proíbe que um membro da família real casado com uma pessoa católica suba ao trono da Inglaterra .

EFE |

O Governo Brown também quer acabar com a regra atual que dá ao homem prioridade sobre a mulher na sucessão ao trono, segundo informa hoje o jornal local "The Daily Telegraph".

Se a nova lei, ainda em estudo, tivesse caráter retroativo, a princesa Anne se anteciparia ao príncipe Andrew e se tornaria a quarta na linha de sucessão, atrás de Charles e seus dois filhos, William e Harry.

Segundo o diário, o primeiro-ministro é a favor de reformar nesse sentido as leis de sucessão e o palácio de Buckingham parece ser flexível a respeito.

Não haverá, no entanto, mudanças no protocolo atual, que diz que o monarca deve ser de religião protestante.

Alterar este último requisito modificaria o status de religião oficial da Igreja Anglicana, da qual o monarca é também governador supremo.

Para as mudanças, o Governo precisa do consentimento dos 53 países que formam a Commonwealth, algo que Brown tratará com seus dirigentes em uma reunião em novembro.

Durante o reinado de Elizabeth II, dois membros da família real britânica, o príncipe Michael de Kent e o conde de St. Andrews, tiveram que renunciar a seus direitos após se casarem com católicas.

Segundo o "Daily Telegraph", o plano de reforma de Brown é uma tentativa de preparar o caminho para uma visita do papa Bento XVI.

Acredita-se que Brown também esteja estudando a possibilidade de levar à Câmara dos Lordes o atual primaz dos católicos ingleses, o cardeal Murphy-O'Connor. EFE jr/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG