Londres, 16 jun (EFE).- O primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, prometeu hoje que o Reino Unido continuará com o processo parlamentar de ratificação do Tratado de Lisboa, apesar da rejeição dos irlandeses, em plebiscito realizado na semana passada.

Em entrevista coletiva conjunta realizada com o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, Brown reconheceu que é necessário um "curto período de reflexão" para que os irlandeses possam apresentar suas propostas sobre a melhor forma de superar o problema.

A República da Irlanda é o único membro da UE a submeter o Tratado de Lisboa à consulta dos eleitores.

Segundo Brown, ficou "muito claro" que, legalmente, o texto não pode entrar em vigor até que seja ratificado pelos 27 Estados-membros da UE.

O primeiro-ministro espera abordar o assunto com seu homólogo irlandês, Brian Cowen, com quem se reunirá hoje em Belfast, por ocasião da visita de Bush à Irlanda do Norte.

"A situação legal do tratado europeu é muito clara: todos os 27 membros da UE devem assiná-lo e ratificá-lo antes que entre em vigor. Cabe a cada membro decidir o processo que deve adotar", especificou Brown.

"Nós continuaremos com nosso processo de debate na Câmara dos Lordes, e depois o Tratado receberá a sanção real, ainda esta semana", acrescentou.

Na próxima quarta-feira, dia 18, o tratado será submetido à terceira e última leitura na Câmara dos Lordes, antes que o texto seja sancionado pela rainha Elizabeth II.

No último dia 12, a Irlanda rejeitou o Tratado de Lisboa, em plebiscito no qual 53,4% dos eleitores que foram às urnas votaram contra o projeto. EFE vg/gs

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.