Brown pede suspeitos dos ataques de Mumbai para interrogatório, Paquistão nega

O Paquistão negou um pedido do primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, para que os investigadores britânicos pudessem interrogar suspeitos paquistaneses presos após os atentados de Mumbai, indicou nesta segunda-feira o chefe do governo de Islamabad, Yusuf Raza Gilani.

AFP |

Brown visitou Islamabad no domingo, numa tentativa de acalmar as crescentes tensões entre paquistaneses e indianos desde os atentados de Mumbai, que deixaram 172 mortos, atribuídos pela Índia a um grupo extremista do Paquistão.

"O primeiro-ministro declarou que, durante seu encontro de domingo com o premier britânico, rejeitou seu pedido para que a Grã-Bretanha interrogasse os paquistaneses presos após os atentados de Mumbai", indicou um comunicado do gabinete de Gilani.

"Ele afirmou ter dito a Gordon Brown que, se houver provas, essas pessoas serão julgadas sob a lei do Paquistão", acrescentou a nota.

Brown garantiu a colaboração do Reino Unido ao Paquistão no combate aos grupos radicais islamitas que se escondem em seu território, e prometeu uma ajuda de nove milhões de dólares.

Pelo menos um britânico morreu nos atentados de Mumbai.

mmg/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG