Brown pede para UE reconsiderar profundamente sua relação com a Rússia

Londres, 31 ago (EFE).- O primeiro-ministro do Reino Unido, o trabalhista Gordon Brown, pediu hoje à União Européia (UE) que reconsidere profundamente sua relação com a Rússia dada a atitude perigosa e inaceitável de Moscou no conflito da Geórgia.

EFE |

Em artigo publicado em "The Observer", Brown também se manifestou a favor de que a UE reduza sua dependência energética da Rússia, enquanto aumenta o temor de que Moscou possa ameaçar cortar a provisão de gás e petróleo ao Ocidente.

O líder britânico fez esses comentários no véspera da cúpula extraordinária que os líderes da UE realizarão esta segunda-feira em Bruxelas para abordar o caso da Geórgia.

Brown, que este sábado falou por telefone com o presidente russo, Dmitri Medvedev, afirmou em seu artigo que "quando a Rússia tiver algum motivo de queixa em assuntos como o da Ossétia do Sul, deveria atuar de forma multilateral e por consentimento e não unilateralmente pela força".

Por isso, o primeiro-ministro defenderá na cúpula européia que a "Rússia deveria aceitar a integridade territorial da Geórgia e os mecanismos internacionais para abordar essas disputas, assim como retirar suas tropas para posições prévias".

"Também estamos refletindo sobre a resposta da Otan. Devemos reavaliar a relação da Aliança com a Rússia e intensificar nosso apoio à Geórgia e outros países que podem ser objeto da agressão russa", prosseguiu Brown.

"Minha mensagem para a Rússia é muito simples. Se quer ser bem-vinda nas principais organizações, como o G8 (sete países mais industrializados e Rússia), OCDE (Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico) e OMC (Organização Mundial do Comércio), deve aceitar que os direitos acarretam responsabilidades", insistiu o chefe do Governo britânico.

Além disso, Brown ressaltou que a UE deve evitar que seu fornecimento energético dependa em bom grau de países como a Rússia, que "utilizam seus recursos energéticos como ferramenta política".

EFE pa/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG