Londres, 20 jul (EFE).- O primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, pediu hoje a libertação imediata dos cinco britânicos seqüestrados desde maio de 2007 no Iraque e disse que esses homens já sofreram o suficiente.

Brown fez essas declarações aos meios de comunicação britânicos durante sua visita a Jerusalém, depois de o jornal "The Sunday Times" divulgar um vídeo dos supostos seqüestradores no qual afirmam que um dos cinco reféns, identificado como Jason, se suicidou.

Até o momento, o Governo britânico não confirmou a veracidade dessa informação.

Brown considerou que esse vídeo "repugnante" só causará mais angústia para as famílias, que tem sofrido bastante, e explicou que durante sua visita neste sábado ao Iraque conversou sobre o assunto com o primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki, e com autoridades americanas no país.

"Trabalharei com o Governo iraquiano, como disse ao primeiro-ministro Maliki ontem (sábado), para conseguir sua libertação, e faremos tudo o que estiver em nosso alcance para trabalhar com quem estiver em posição de nos ajudar a libertar esses reféns", disse.

Os seqüestradores, a autodenominada Resistência Islâmica Xiita no Iraque, seqüestraram os cinco britânicos - um técnico de informática e seus guarda-costas - em 29 de maio do ano passado no Ministério das Finanças iraquiano, no centro de Bagdá.

Em um vídeo anterior, divulgado em fevereiro deste ano, o grupo exigiu a libertação de nove presos iraquianos em troca da libertação dos cinco britânicos. EFE ep/wr/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.