Brown pede investigação de irregularidades eleitorais no Afeganistão

Londres, 4 set (EFE).- O primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, pediu hoje que sejam investigados supostos casos de irregularidades nas eleições presidenciais realizadas no Afeganistão, no dia 20 de agosto.

EFE |

A Comissão de Queixas Eleitorais afegã alegou ter recebido um total de 2.654 denúncias de irregularidades desde o início da campanha, sendo que 652 delas, se forem verídicas, teriam poder suficiente para alterar o resultado final da votação, que deverá ser divulgado ainda neste mês.

Em discurso em Londres, Brown afirmou que "incidentes de irregularidade eleitoral e intimidação devem ser investigados a fundo, inclusive pela própria Comissão".

Apesar de ressaltar que os resultados "completos" da eleição ainda não são conhecidos, o chefe do governo britânico mostrou-se decepcionado com o baixo número de eleitores, que foi "diferente do que esperava".

Mas o britânico também se disse satisfeito pelo pleito ter acontecido mesmo sob ameaça terrorista. "Os talibãs prometeram arruinar a votação e fracassaram", disse.

Brown reiterou seu compromisso com a missão militar no Afeganistão, e ressaltou que as forças do Reino Unido ainda não podem deixar o país asiático, porque isso "comprometeria a segurança dos afegãos".

Sobre as criticas feitas ao governo britânico por equipar de forma insuficiente as tropas do país no Afeganistão, que, nos últimos dois meses, sofreram 41 baixas, o primeiro-ministro prometeu que "elas terão os recursos adicionais que necessitarem para sua segurança".

No último dia 2, a Comissão Eleitoral do Afeganistão informou que, após a apuração de 60,34 % dos votos, o atual presidente do país, Hamid Karzai, obteve 47,3 % do total, ainda abaixo do mínimo necessário para evitar o segundo turno. EFE pa/id-pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG