Brown pede à comunidade internacional ação contra Mianmar

Londres, 11 ago (EFE).- O primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, afirmou hoje que a comunidade internacional tem que atuar contra o regime militar de Mianmar, após a nova condenação imposta hoje sobre a líder do movimento opositor e Nobel da Paz, Aung San Suu Kyi.

EFE |

Brown fez uma chamada ao Conselho de Segurança das Nações Unidas para que "responda com determinação" à sentença contra a Nobel da Paz e defendeu que a ONU imponha um embargo de armas à Junta Militar de Mianmar.

O primeiro-ministro do Reino Unido, que há anos defende a causa da líder opositora birmanesa, afirmou, em declaração divulgada por Downing Street, que está "triste e zangado" com uma condenação que considerou fruto de uma "farsa", e não de um julgamento.

Segundo ele, a condenação é mais uma prova de que o regime militar de Mianmar tem a intenção de seguir "desafiando a opinião internacional" e que não permitirá que Suu Kyi participe das eleições anunciadas para o ano que vem.

"Enquanto Aung San Suu Kyi e outros opositores políticos continuarem detidos, e enquanto não puderem participar plenamente do processo político, as eleições previstas para 2010 não terão credibilidade nem legitimidade", acrescentou Brown.

O primeiro-ministro reiterou que seu Governo "responderá positivamente a qualquer indício de progresso sobre uma reforma democrática em Mianmar", mas considerou que os generais birmaneses descartaram isso explicitamente com a condenação de hoje. EFE fpb/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG