Brown garante que crise não afeta esforços ambientais

LONDRES (Reuters) - O primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, disse nesta terça-feira que a crise econômica global não restringirá os esforços do seu governo para reduzir as emissões de carbono e atenuar o efeito estufa. Em uma conferência sobre energia eólica, em Londres, Brown disse que seus ministros estão comprometidos com a meta de que até 2020 pelo menos 15 por cento da energia usada no Reino Unido seja de fontes renováveis, como o vento, as ondas e o sol.

Reuters |

"Vocês podem ter ouvido algumas pessoas dizerem que estes tempos econômicos difíceis devem ou vão reduzir o compromisso do governo com a construção de uma economia de baixo carbono. Não devem nem vão", disse Brown em gravação de vídeo exibida aos membros da Associação Britânica da Energia Eólica.

Alguns investidores alertam que as empresas precisariam de mais incentivos financeiros para cumprir as metas de energia renovável, o que implica, por exemplo, na construção de fazendas eólicas.

Reportagem do jornal Observer no fim de semana disse que os atrasos na aprovação para esses projetos, a demora nas obras, o aumento dos custos e problemas técnicos estão ameaçando os planos do governo.

O Reino Unido deve ultrapassar nesta semana 3 gigawatts de capacidade eólica instalada, o triplo do que em 2005. A Grã-Bretanha já superou a Dinamarca como maior produtor mundial de energia eólica, segundo o premiê.

"O que isso significa é a criação de um mercado inédito de 100 bilhões de libras para as fontes renováveis de energia em pouco mais de uma década. Isso criará enormes novas oportunidades empresariais - e cerca de 160 mil empregos," afirmou Brown.

(Reportagem de Phil Waller)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG