Brown condena detenção de funcionários da embaixada britânica em Teerã

Londres, 29 jun (EFE).- O primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, qualificou hoje de inaceitável e injustificável a detenção no domingo passado de nove funcionários da Embaixada do Reino Unido em Teerã, cinco dos quais já foram libertados.

EFE |

"Estamos muito decepcionados com a detenção por parte do Irã de parte do pessoal da Grã-Bretanha em Teerã", disse Brown, em entrevista coletiva conjunta realizada em Londres com o presidente da Comissão Europeia (órgão executivo da União Europeia), José Manuel Durão Barroso.

"Alguns (dos funcionários) já foram colocados em liberdade, mas agora temos de ver livres os outros, para que retomem seu trabalho", ressaltou o chefe do Governo britânico, ao reiterar que a medida das autoridades iranianas foi tomada "sem fundamento".

Brown acrescentou que seu país "continuará deixando isso claro ao regime iraniano", com a ajuda de seus aliados internacionais.

Barroso expressou sua "total solidariedade" ao Reino Unido e ressaltou que "a intimidação e a fustigação são inaceitáveis".

Os funcionários da delegação diplomática foram detidos devido ao suposto envolvimento nos protestos registrados na República Islâmica após a polêmica reeleição do presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, no pleito de 12 de junho.

A relação entre Londres e Teerã é tensa, depois que o Ministério de Exteriores do Irã confirmou na semana passada a expulsão de dois diplomatas britânicos, acusados de interferir nos assuntos internos do país.

Em uma decisão recíproca, Brown anunciou a expulsão de Londres de dois diplomatas iranianos.

Além disso, o Irã expulsou há uma semana o correspondente permanente em Teerã da rede pública britânica "BBC", John Leyne, acusado de incitar os distúrbios com suas informações. EFE pa/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG