Brown afirma que futuro Estado palestino deve ser economicamente viável

Londres, 15 dez (EFE) - O primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, defendeu hoje que os territórios palestinos devem ser economicamente viáveis como passo fundamental para a constituição de um Estado palestino sólido e conseguir um acordo de paz durável e estável no Oriente Médio.

EFE |

Brown recebeu no escritório de Downing Street o primeiro-ministro da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Salam Fayyad, antes do início, em Londres, do Fórum sobre Comércio e Investimento nos Territórios Palestinos.

No evento, o primeiro-ministro pedirá aos empresários britânicos para considerar "as oportunidades" de negócio na economia dos territórios palestinos.

"Estabelecer um Estado palestino viável e estável com uma economia estável e um setor privado florescente é uma parte crucial do processo", disse o primeiro-ministro do Reino Unido em uma breve declaração à imprensa em sua residência oficial.

Brown afirmou que o fórum realizado hoje dará a oportunidade a ambas as partes de explorar as possibilidades de negócio.

"Promoverá o desenvolvimento econômico palestino, demonstrará a força do setor privado palestino e mostrará as consideráveis oportunidades de negócio com o Reino Unido", acrescentou.

A visita de Fayyad a Londres, onde nesta terça-feira é aguardado o primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, ocorre em meio a problemas enfrentados pela ANP para pagar o salário dos funcionários devido ao bloqueio mantido pelo Governo de Israel sobre a transferência de fundos à Faixa de Gaza.

Brown abordou o bloqueio geral da faixa e disse que, do ponto de vista de seu Governo, "é uma barreira que evita alcançar o acordo que todo o mundo crê ser possível".

"Espero que nas conversas das próximas semanas e meses se reconheça que é preciso superar essa barreira", acrescentou.

O Fórum sobre Comércio e Investimento nos Territórios Palestinos é conseqüência do compromisso que Brown contraiu em julho, em uma visita à Cisjordânia, de organizar e ser o anfitrião de um evento que já aconteceu no ano passado em Belém.

A reunião durará dois dias e nela participa uma representação de 40 empresários palestinos, que informarão aos investidores britânicos das possibilidades de negócio nos setores financeiro, de infra-estruturas, informação, tecnologias da informação, turismo agrícola e desenvolvimento turístico. EFE fpb/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG