Brown adverte Irã em discurso em Israel

O primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, advertiu o Irã para possíveis sanções e mais isolamento, caso o país se recuse a suspender seu programa nuclear. A advertência foi feita em um discurso realizado nesta segunda-feira no Knesset, o Parlamento israelense.

BBC Brasil |

Brown é o primeiro premiê da Grã-Bretanha a fazer um discurso no Parlamento do país.

Ele afirmou que a Grã-Bretanha, a União Européia e os Estados Unidos estão determinados a impedir o desenvolvimento de armas nucleares no Irã.

"O Irã tem uma escolha clara a fazer: suspender o programa nuclear e aceitar nossa oferta de negociação para não enfrentar um isolamento cada vez maior", disse o premiê, sinalizando possíveis novas sanções ao país.

O premiê britânico declarou que está do lado de Israel na "luta pela liberdade", e falou do afeto duradouro que seu pai tinha pelo país.

"Por toda minha vida, sempre me considerei um amigo de Israel", afirmou.

Irã
Brown condenou o apelo feito em 2004 pelo presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad para que Israel fosse "apagado do mapa". Para Brown, a declaração é "abominável".

"Para aqueles que questionam o direito de Israel de existir e ameaçam as vidas de seus cidadãos através do terror, nós dizemos: o povo de Israel tem direito de viver aqui, de viver em liberdade e em segurança", disse Brown.

De acordo com o porta-voz do primeiro-ministro, caso a Grã-Bretanha decida impor novas sanções ao Irã, o foco principal serão os recursos energéticos. Em particular, o país poderia bloquear o acesso de Teerã a equipamentos para suas refinarias de petróleo.

Em 2004, Ahmadinejad prestou uma declaração na qual pedia pelo fim do Estado israelense, contemplando sua substituição por um Estado palestino e islâmico. Na ocasião, o presidente iraniano afirmou ainda que o Holocausto é "um mito".

Assentamentos
Apesar do discurso de apoio a Israel durante sua visita ao país, Brown esclareceu sua opinião contrária à do premiê israelense, Ehud Olmert, sobre os assentamentos nos territórios palestinos.

No domingo, Brown pediu o fim dos assentamentos israelenses da Cisjordânia e deixou claro a Olmert que o governo britânico é contra a expansão dos assentamentos de colonos judeus em territórios reivindicados por palestinos.

"Embora você não concorde conosco (nessa questão), pelo menos eu espero que você entenda melhor a posição de Israel em algumas dessas questões", disse Olmert em entrevista coletiva ao lado de Brown.

Para o premiê britânico, líderes palestinos e israelenses estão diante de uma grande oportunidade para alcançar a paz e devem aproveitá-la.

Ele disse que eventuais progressos políticos teriam o apoio econômico da Grã-Bretanha.

O discurso de Brown no Knesset marcou o final de uma visita de três dias do premiê ao Oriente Médio.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG