Brown acredita que produtores de petróleo do Golfo ajudarão na crise atual

Londres, 2 nov (EFE).- O primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, disse hoje acreditar que, se for preciso, os ricos países produtores de petróleo do Golfo Pérsico sairão em auxílio dos países mais vulneráveis à atual crise financeira.

EFE |

Brown iniciou neste sábado uma viagem de quatro dias pelos países do Golfo Pérsico para pedir a seus Governos que se esforcem mais para estabilizar os preços do petróleo e contribuam para o fim da crise.

Após conversar com o rei da Arábia Saudita, Abdullah bin Abdulaziz, e outros membros do Governo de Riad, Brown se mostrou confiante em que esse país árabe contribuirá para um fundo especial do Fundo Monetário Internacional (FMI) para ajudar aos países em risco de quebra, segundo a "BBC".

De acordo com o primeiro-ministro britânico, as próprias nações do Golfo devem estar interessadas nos esforços internacionais para impedir que a crise atinja cada vez mais países.

Alguns observadores temem que se mais Estados em dificuldades pedirem ajuda ao FMI, como já fizeram Islândia, Hungria e Ucrânia, a instituição não disporá de reservas suficientes para ajudar a todos.

Aí é onde poderiam intervir os países produtores de petróleo do Golfo: o FMI calcula que os fundos soberanos desses países representam entre US$ 2 trilhões e US$ 3 trilhões e podem chegar a uma cifra entre US$ 7 trilhões e US$ 11 trilhões.

Ao se referir à próxima reunião em Washington entre os dirigentes de vários países ricos e emergentes, Brown disse que tudo caminha para uma "nova ordem global, onde haverá uma melhor coordenação e se colaborará internacionalmente na solução de problemas comuns".

Brown, que viaja acompanhado de seus ministros de Negócios, Empresas e Reforma Regulatória, Peter Mandelson, e de Energia e Mudança Climática, Ed Miliband, viaja hoje à tarde para o Catar. EFE jr/wr/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG