Brown acredita que Harry foi sincero ao se desculpar por termo racista

Londres, 12 jan (EFE).- O primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, saiu hoje em defesa do príncipe Harry, terceiro na linha de sucessão ao trono britânico, ao afirmar que o jovem foi sincero quando se desculpou por utilizar um termo racista ao se referir a um colega do Exército.

EFE |

Em declarações à rede "GMTV", Brown disse que o filho do príncipe Charles sabia que seus comentários eram "inaceitáveis", mas insistiu em que a desculpa foi verdadeira.

O príncipe, de 24 anos, causou ontem uma grande polêmica depois que o dominical "News of the World" divulgou um vídeo no qual ele aparecia dizendo, ao se referir a um colega do Exército, como "nosso amiguinho 'Paki'", termo de conotações racistas utilizado, principalmente, para pessoas de origem indiana ou paquistanesa.

"Acho que não pode haver dúvidas sobre a sinceridade de suas desculpas. Foi um erro, ele admitiu", disse Brown, ressaltando que é preciso dar ao príncipe o "benefício da dúvida".

Em comunicado divulgado ontem, a Clarence House - residência oficial do príncipe de Gales - afirmou que Harry é "muito consciente de como o termo pode ser ofensivo" e "sente muito" se ofendeu alguém.

A nota especificou que o incidente em questão, no qual o príncipe chamou de "Paki" um colega de origem paquistanesa quando filmava um vídeo caseiro, aconteceu há três anos, quando ele estava se formando na elitista academia militar Sandhurst, e o termo foi utilizado em sentido amistoso e "sem malícia". EFE vg/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG