Londres, 29 jul (EFE).- O primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, disse hoje que Peter Moore, um dos cinco britânicos sequestrados no Iraque desde 2007, pode estar vivo e fez um novo apelo para que seja imediatamente libertado.

"Eu e o Governo inteiro estamos comprometidos a fazer tudo o que pudermos para conseguir a libertação de Peter Moore, que ainda acreditamos que continue vivo", disse Brown em mensagem à família do refém divulgada pela agência de notícias "PA".

Na mensagem, Brown acrescentou que fazer reféns "nunca é justificado" e que é algo que "não tem lugar no futuro do Iraque".

"Condeno sem reservas e, mais uma vez, faço um apelo aos sequestradores para que libertem Peter Moore e nos digam os destinos de Alec MacLachlan e Alan McMenemy", afirmou.

Fontes do Governo informaram hoje que tudo indica que MacLachlan e McMenemy, guardas de segurança de Moore - analista em tecnologia da informação para a empresa de consultoria americana Bearingpoint-, estão mortos, depois que foram encontrados os corpos de dois homens baleados com as características dos britânicos.

Os corpos de outros dois guarda-costas de Moore, Jason Swindlehurst e Jason Creswell, foram encontrados e repatriados no mês passado ao Reino Unido.

Graeme Moore, pai de Peter Moore, acusou hoje o Ministério de Assuntos Exteriores do Reino Unido de "tramitar mal" a situação dos reféns britânicos e disse que o Governo escondeu informação das famílias. EFE fpb/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.