Mais de 45 milhões de britânicos devem comparecer às urnas nesta quinta-feira para as eleições gerais mais acirradas em décadas, que podem resultar em um Parlamento sem maioria absoluta." /

Mais de 45 milhões de britânicos devem comparecer às urnas nesta quinta-feira para as eleições gerais mais acirradas em décadas, que podem resultar em um Parlamento sem maioria absoluta." /

Britânicos comparecem às urnas em cenário de incerteza

Mais de 45 milhões de britânicos devem comparecer às urnas nesta quinta-feira para as eleições gerais mais acirradas em décadas, que podem resultar em um Parlamento sem maioria absoluta.

AFP |

Mais de 45 milhões de britânicos devem comparecer às urnas nesta quinta-feira para as eleições gerais mais acirradas em décadas, que podem resultar em um Parlamento sem maioria absoluta.

Os locais de votação abriram às 7H00 (3H00 de Brasília) e fecharão as portas às 22H00 (18HOO de Brasília), horário em que as principais emissoras de televisão divulgarão as primeiras pesquisas de boca de urna e projeções. Os resultados definitivos devem ser anunciados na sexta-feira.

As últimas pesquisas, divulgadas no último dia de campanha, mostram que os opositores conservadores devem ganhar o voto popular, mas não a maioria absoluta de cadeiras no Parlamento necessária para que seu líder, David Cameron, possa mudar-se imediatamente para o número 10 de Downing Street.

Também mostraram uma leve recuperação dos trabalhistas do impopular primeiro-ministro Gordon Brown, favorecidos pelo atual sistema eleitoral - que premia apenas o candidato mais votado em cada circunscrição -, em detrimento dos liberais-democratas de Nick Clegg, a grande surpresa das eleições.

De acordo com a média das pesquisas divulgads na quarta-feira, os 'Tories' tinham 35% das intençõs de voto, contra 29% para os trabalhistas e 26% para os 'Lib-Dem', um resultado que daria aos trabalhistas duas cadeiras a mair que os conservadores no Parlamento (272 contra 270).

A perspectiva de um Parlamento sem maioria absoluta de nenhum dos grandes partidos (326 das 650 cadeiras em disputa), inédita desde 1974, pode dar a Clegg a chave do governo, apesar dele já ter anunciado que condicionará qualquier aliança à reforma de um sistema eleitoral que prejudica claramente os pequenos partidos.

ra.mc/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG