Tamanho do texto

Londres, 14 jul (EFE).- Três dos oito britânicos acusados de conspirar em 2006 para derrubar aviões comerciais se declararam hoje culpados diante do tribunal de Woolwich, sul de Londres.

Os três, junto com outros dois acusados, se declararam culpados de conspirar para causar explosões e para provocar alteração da ordem pública ao divulgar vídeos nos quais ameaçavam com a realização ataques suicidas.

A admissão de culpabilidade foi conhecida durante o julgamento que aconteceu no tribunal de Woolwich contra os oito acusados de complô descoberto em agosto de 2006.

Os três que admitiram a acusação de conspirar para causar explosões e alterar a ordem pública são Abdullah Ahmed Ali (de 27 anos), Assad Sarwar (de 28) e Tanvir Hussain (de 27), enquanto os outros dois que reconheceram a segunda acusação são Ibrahim Savant (de 27 anos) e Umar Islam (de 30).

O júri, integrado por 12 pessoas, terá de decidir se os outros cinco acusados do complô para tentar explodir aviões são culpados e também se os três que não admitiram causar moléstias públicas são culpados por esta acusação.

Além disso, o júri deverá decidir se os oito são culpados de conspirar para assassinar - acusação negada por todos.

Segundo a Polícia, o complô consistia em fabricar bombas que alguns dos acusados levariam a bordo de aviões de passageiros do aeroporto londrino de Heathrow para o Canadá e, principalmente, para os Estados Unidos. EFE vg/fh/fal