Britânico retira estilhaço da 2ª Guerra preso na mandíbula

Londres, 26 mai (EFE).- Alfred Mann é um britânico de 87 anos que finalmente descobriu a origem das dores que o afligiram durante os últimos 65 anos: um pedaço de estilhaços que ficou incrustado em sua mandíbula durante a Segunda Guerra Mundial.

EFE |

Mann, que foi enfermeiro no conflito, ficou ferido na explosão de uma mina na Itália em 1944 e, desde então, teve problemas constantes na boca, que o impediam de morder e o obrigaram a ter uma dieta de comida macia.

Em entrevista à agência de notícias "PA", o britânico afirmou nunca ter suspeitado de que tinha um pedaço de estilhaço de 1,3 centímetro preso na mandíbula, e que finalmente se soltou em 4 de maio.

"Não consegui acreditar quando saiu", afirmou Mann, que vive em Birmingham, centro da Inglaterra, com a mulher, Constance.

O veterano descreveu os problemas que teve na boca durante as seis últimas décadas, principalmente o sangramento na gengiva e as dores que o impediam de mastigar normalmente.

"Ia ao médico, que me dizia que era uma úlcera e que me mandava ao dentista, que também não achava nada", explicou Mann, que disse se sentir "um homem novo". "Estou tão aliviado", confessou.

"Só podia comer comidas macias e agora estou comendo de tudo e aproveitando", acrescentou.

No dia em que foi ferido por uma mina em Monte Cassino, quando tentava ajudar e atender soldados feridos, o enfermeiro teve perda da audição e sofreu ferimentos no rosto, nos ombros e nas pernas.

"Não lembro de nada do que aconteceu. Acordei dois dias mais tarde em um hospital de Nápoles", explicou Mann. EFE fpb/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG