Britânica usa projeto artístico para escapar da pena de morte nos EUA

Uma britânica condenada à morte nos Estados Unidos alegou sua inocência nesta quinta-feira através de uma mensagem gravada que foi divulgada na praça londrina de Trafalgar, utilizando um projeto artístico para pedir clemência.

AFP |

"Ser executado por um crime que não se cometeu é o pior pesadelo de qualquer pessoa. Eu estou vivendo esse pesadelo", afirmou Linda Carty, de 50 anos, que espera sua execução por injeção letal pelo assassinato de uma vizinha.

Sua mensagem, gravada no presídio do Texas, foi lida por um militante do alto da "quarta coluna" da famosa praça - a única que não tem estátua - junto com uma foto em tamanho natural da ex-professora.

A montagem é parte de um projeto do artista Antony Gormley, que durante três meses fará desfilar sucessivamente a 2.400 pessoas durante uma hora sobre a coluna, como se fossem obras vivas.

"Estou desesperada. Os britânicos podem ser minha última esperança. Por isso preciso contar minha história. Ouçam, por favor, e contem a todos que conheçam. POr favor, não me deixem morrer aqui", acrescentou.

Nascida na ilha caribenha de St Kitts, Carty trabalhou como informante da agência antidrogas americana, a DEA.

Quando três homens sequestraram sua vizinha e a meteram na mala de um carro, onde se asfixiou, Carty foi acusada de ter planejado o crime.

Ela alega, no entanto, que os autores do crime armaram uma armadilha para ela por causa de seu trabalho como informante.

ar/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG