Britânica teria morrido por cinto de explosivos do sequestrador

Ativista que trabalhava com ajuda humanitária, Linda Norgrove, morreu durante a operação de resgate

AFP |

AFP
Linda Norgrove havia sido sequestrada em 26 de setembro (foto de arquivo)
A ativista britânica Linda Norgrove, morta durante uma fracassada operação de resgate depois de permanecer mais de duas semanas sequestrada no Afeganistão, foi vítima do cinto de explosivos que um dos sequestradores tinha junto ao corpo. A informação foi dada neste domingo por uma fonte do governo britânico.

Nascida na Escócia, Linda tinha 36 anos, trabalhava para uma ONG de ajuda humanitária americana e havia sido sequestrada na província de Kunar, no leste do Afeganistão, no dia 26 de setembro. Ela "morreu em uma explosão, certamente um cinto de explosivos de um dos sequestradores", explicou a fonte, que pediu o anonimato.

No sábado, um membro do serviço secreto afegão havia dito que os sequestradores lançaram uma granada no quarto onde a refém estava quando ouviram os soldados chegando. A fonte do governo britânico, no entanto, descartou a hipótese. "Nada nos faz pensar que disparos das forças americanas tenham provocado sua morte", destacou a fonte.

O governo do Reino Unido anunciou a morte de Linda no sábado, vítima de "seus sequestradores" durante a tentativa de resgate. Trata-se da segunda trabalhadora humanitária britânica morta no Afeganistão em três meses.

    Leia tudo sobre: afeganistãobritânicasequestro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG