Britânica processada por sexo barulhento perde batalha no tribunal

Uma mulher que foi proibida por um tribunal britânico de fazer barulho alto durante suas relações sexuais perdeu seu apelo contra a decisão.

BBC Brasil |

As relações sexuais de Caroline e Steve foram descritas como "anormais" e "assassinas" pelos vizinhos durante o julgamento, em um tribunal em Newcastle. Além dos vizinhos, um carteiro da região e uma mulher que levava o filho para a escola reclamaram do barulho.

Caroline Cartwright, 48 anos, de Washington on Wearside, no nordeste da Inglaterra, havia sido condenada por desrespeitar uma ordem do tribunal para que parasse de fazer barulho.

'Quase todas as noites'

Ela havia argumentado que os gemidos durante o sexo eram parte dos seus direitos humanos, que asseguram "o respeito à sua vida privada e particular".

Mas o juiz Jeremy Freedman, que julgou o caso acompanhado por outros dois magistrados, rejeitou o argumento de Cartwright de que ela não conseguia evitar fazer barulho durante suas relações sexuais. "Não temos qualquer dúvida em relação ao nível de ruído que pode ser ouvido nas propriedades vizinhas, na rua e na rua de trás", disse o juiz.

"(O ruído) é com certeza uma intromissão e constitui uma perturbação da paz. É claramente de uma natureza muito perturbadora e também é acentuado pela duração - não se trata de um único episódio, se prolonga por várias horas a cada vez". "E (o ruído) é agravado ainda mais pela frequência do episódio, quase todas as noites".

47 decibéis

A vizinha Rachel O'Connor, que mora na casa ao lado, disse ao tribunal que com frequência chegava tarde ao trabalho depois de passar a maior parte da noite acordada por causa do barulho.

"Pelo barulho, é como se ambos estivessem sentindo muita dor. Eu não posso descrever o ruído. Eu nunca escutei nada igual", disse ela.

Segundo os vizinhos, as relações sexuais do casal começavam por volta da meia-noite e prosseguiam até três horas da manhã, todas as noites.

Equipamentos especializados de gravação foram instalados no apartamento de O'Connor pelo governo local e registraram níveis médios de ruído entre 30 e 40 decibéis, com um pico de 47 decibéis.

Esse nível de ruído é suficiente para interromper o sono e dificultar a comunicação verbal entre as pessoas.

Leia mais sobre Grã-Bretanha

    Leia tudo sobre: relações sexuaissexo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG