Britânica é indiciada por ameaçar papa Bento 16

Na casa da mulher, de 56 anos, polícia achou arma falsa e bilhete de ônibus para Londres no dia em que Bento 16 estaria na cidade

iG São Paulo |

Uma mulher foi indiciada por ameaçar de morte o Papa Bento 16 durante sua visita de Estado na semana passada ao Reino Unido, depois da descoberta em sua casa de uma arma falsa.

Pauline Lunney, de 56 anos, compareceu ante um tribunal de North Tyneside, nordeste da Inglaterra, onde o juiz a notificou de seu indiciamento. Ela foi detida na semana passada depois da denúncia de uma testemunha que a ouviu falar que queria matar o Papa.

Uma falsa arma foi descoberta em sua residência, assim como uma passagem de ônibus para ir a Londres no sábado passado, penúltimo dia da visita papal. O advogado da acusada afirmou que Lunney não tinha intenções de cumprir com suas ameaças e que simplesmente planejava participar na manifestação de protesto contra o Papa.

Na semana passada, a polícia britânica prendeu seis homens sob suspeita de ligação com uma possível ameaça contra o papa. Porém, segundo investigadores da unidade antiterrorismo da polícia britânica, os suspeitos não representaram “ameaça crível” à vida do pontífice.

As prisões teriam ocorrido após uma testemunha ter ouvido o grupo supostamente discutir um plano contra o papa na cantina da empresa em que trabalham. Segundo informações divulgadas pelo jornal britânico Sunday Mirror, no entanto, os homens estariam apenas “brincando” durante a conversa.

* Com Reuters e BBC

    Leia tudo sobre: papabento 16ameaça

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG