Paris, 17 jul (EFE).- A atriz francesa dos anos 60 Brigitte Bardot pediu hoje à cantora e ex-modelo Carla Bruni que convença seu marido, o presidente francês Nicolas Sarkozy, a rejeitar as touradas na França.

Em carta manuscrita e publicada no site da Fundação Brigitte Bardot, a atriz pede "muita comemoração à maravilhosa e bela primeira-dama da França" e diz que ela também fala italiano perfeitamente, além de elogiá-la e agradecer por sua clara rejeição a casacos de pele.

Sobre as touradas, Brigitte citou uma das músicas mais famosas do último CD de Carla, intitulado "Quelqu'un m'a dit" ("Alguém me Disse"), como uma sugestão sobre como transmitir a ideia a Sarkozy.

"Você poderia convencer seu marido a rejeitar as corridas, esse abominável espetáculo de morte, dizendo: 'alguém me disse que a morte de um animal não deve ser admitida na França!'", explica a carta, ilustrada com uma margarida também feita à mão.

Defensora ferrenha dos direitos dos animais há décadas, Brigitte comenta, além disso, a extrema importância da clara rejeição de Carla a casacos de pele "no combate a uma cauda que se dedica há tantos anos".

A pedido da fundação americana defensora dos animais PETA, a primeira-dama francesa assegurou "que não usa, não comprar e nem possui" casacos de pele, segundo também informou hoje, pela internet, a Fundação Brigitte Bardot.

"Todos os desenhistas que me emprestam gratuitamente suas criações para minhas aparições públicas poderão confirmar que eu não aceito a menor peça de roupa com pele animal em meu figurino", escreveu a esposa de Sarkozy, em carta à PeTA, segundo a Fundação.

EFE lg/pd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.