Brigitte Bardot é processada por instigar ódio contra muçulmanos

Paris, 15 abr (EFE) - A Promotoria francesa pediu hoje uma pena de dois meses sem cumprimento da sentença e o pagamento de uma multa de 15 mil euros para a ex-atriz francesa Brigitte Bardot por incitar o ódio contra os muçulmanos, devido a declarações feitas em 2006. A atriz e atual ativista dos direitos dos animais fez duras críticas aos muçulmanos em uma carta que enviou em dezembro de 2006 ao então ministro do Interior francês e atual presidente, Nicolas Sarkozy, na qual se queixava do tratamento que estes conferiam aos animais durante os sacrifícios na festa denominada Aid el-Kebir. Estamos cansados de ser manipulados por essas pessoas que destroem nosso país impondo seus atos, dizia Bardot na carta. Diversas associações de defesa dos direitos humanos decidiram, então, levá-la aos tribunais, ao considerar que suas afirmações constituíram um crime de provocação à discriminação e ao ódio racial. A diva não compareceu ao Tribunal Correcional de Paris, onde está sendo julgado o caso, por problemas de locomoção. Apesar disso, Bardot, de 73 anos, enviou uma mensagem na qual se mostrou disposta a prosseguir sua luta pelo fim dos sacrifícios de animais.

EFE |

"Estou cansada e esgotada", assegurou a atriz, enquanto seu advogado, François-Xavier Kelidjian, pediu sua absolvição, porque "não há racismo nem xenofobia" nas palavras de Bardot, mas "a expressão de seu combate" em favor dos animais.

Sua opinião não convenceu nem a Promotoria nem os advogados das diversas partes civis, que pediram duras penas à ex-atriz, lembrando que ela já havia sido condenada por motivos similares em quatro ocasiões anteriores desde 1997. EFE lmpg/mac/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG