Pelo menos 21 presidiários foram mortos em uma prisão do México, no que seria uma briga entre gangues rivais seguida de um incêndio, segundo o escritório da Promotoria local. A direção da prisão, em Reynosa, na fronteira com os Estados Unidos, disse que gangues rivais entraram em confronto na segunda-feira por várias horas com facas e revólveres e depois atearam fogo em uma parte da cadeia.

Além dos mortos, dezenas de detentos ficaram feridos.

Segundo as autoridades, soldados e policiais armados foram chamados ao local para controlar a situação.

Reuters
Cadeia mexicana é tomada pela violência

De acordo com a imprensa mexicana centenas de pessoas bloquearam os acessos à área de visitas da prisão e a televisão transmite imagens de familiares dos presos, em desespero, exigindo informações.

O jornalista da BBC Warren Bull afirmou que este é o último de uma série de incidentes violentos nas prisões superlotadas do México, em que presidiários reclamam das más condições e do tratamento dado pelos guardas penitenciários.

Mas, de acordo com Bull, acredita-se também que a luta dos cartéis e gangues de narcotráfico que afeta a sociedade mexicana também se reproduz no interior das prisões.

As causas desta rebelião em particular ainda não foram esclarecidas, mas fontes oficiais e analistas afirmam que uma possível luta entre gangues de narcotraficantes rivais, que disputam o controle da prisão, pode ter sido a causa.

Reynosa fica perto da fronteira com o Estado do Texas, nos Estados Unidos, área em que opera o Cartel do Golfo.

No dia 9 de outubro 17 detentos de Reynosa escaparam "pela porta principal" da prisão, aparentemente com a ajuda de quatro guardas, segundo a imprensa mexicana. 

Leia mais sobre: cadeias - México

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.