Brics têm de assumir protagonismo na economia mundial, diz Mantega

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse em entrevista à BBC que os países do chamado grupo dos Brics (Brasil, Rúsia, Índia e China) têm de assumir o protagonismo da cena econômica mundial.

BBC Brasil |

"Os Estados Unidos continuarão um, dois, três anos com a economia fraca. Os países europeus continuarão um, dois, três anos com a economia fraca. Mas os Brics sairão com um crescimento mais forte. O crescimento de economia mundial vai ser liderado pelos Brics. Então, nós temos que assumir esse protagonismo e ter uma ação em cima disso."

A afirmação foi feita em entrevista exclusiva ao correspondente da BBC Gary Duffy, às vésperas do encontro de cúpula que reunirá os líderes dos quatro países a partir desta terça-feira em Ecaterimburgo, na Rússia.

"O fato de termos valorizado o G20 já significa o reconhecimento de que os países emergentes têm um papel importante na economia mundial", disse.

Segundo Mantega, outra forma de colocar o "protagonismo" em prática seria por meio de mais influência no Fundo Monetário Internacional (FMI).

"Nós estamos pressionando o Fundo Monetário de modo que a nossa participação, que hoje é muito pequena e não é proporcional à nossa participação na economia mundial, seja reconhecida. Já existe um compromisso do fundo de fazer uma reforma em 2011."

Moeda

O ministro também defendeu que o real e o iuan tenham um papel cada vez maior no comércio internacional, embora tenha reconhecido que "o dólar vai continuar sendo a principal moeda nos próximos anos mesmo que a economia americana esteja mais fraca".

Segundo Mantega, a discussão sobre o o uso das moedas nacionais nas trocas bilaterais entre os países dos Brics estará na pauta de Ecaterimburgo.

O Brasil já tem acordo semelhante com Argentina desde o ano passado, mas apenas cerca de 3% das trocas são feitas em reais e pesos.

Segundo Mantega, o percentual relativamente baixo se explica pela novidade do mecanismo.

"Nós temos que nos adaptar", disse Mantega, "a tendência é que isso vai crescer. Nós temos US$ 30 bilhões com intercâmbio com a Argentina. Com a China nós temos US$ 40 bilhões."

Sobre a economia brasileira, Mantega reafirmou as previsões de crescimento nem torno de 1% neste ano e entre 3% e 4% em 2010.

Questionado sobre se a previsão não seria otimista demais, Mantega disse que o governo "está sendo realista, não otimista".

Leia mais sobre Guido Mantega

    Leia tudo sobre: mantega

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG