Brian Keenan, dirigente do IRA, morre aos 66 anos

Dublin, 21 mai (EFE).- O ex-comandante do Exército Republicano Irlandês (IRA) Brian Keenan, uma das figuras mais importantes no processo de paz norte-irlandês, faleceu aos 66 anos, em conseqüência de um câncer, informou hoje o partido político Sinn Féin.

EFE |

Nascido na localidade de Swatragh, no condado norte-irlandês de Londonderry, Keenan cresceu no oeste de Belfast, de maioria católica, e se uniu ao IRA em 1968, no começo dos enfrentamentos entre nacionalistas e unionistas.

Durante grande parte do conflito na província, o histórico dirigente republicano foi considerado pelas forças de segurança como a "maior ameaça para o Estado britânico". Posteriormente, no entanto, foi atribuído a ele um papel de destaque na caminhada da organização terrorista rumo à via política.

Como responsável dos arsenais do IRA em Belfast no início dos anos 70, Keenan foi responsável por planejar a campanha de atentados efetuados na Inglaterra, pela qual foi condenado a 18 anos de prisão, em 1980.

O comandante do IRA também foi um dos sete membros que compõem o Conselho Armado, o principal órgão de decisão do grupo, o qual abandonou em 2005 por motivos de saúde, após participar ativamente das negociações para o desarmamento do IRA com o general canadense John de Chastelain, presidente da Comissão Internacional Independente de Desarmamento.

Durante anos, Keenan foi tachado de "radical" por alguns observadores, mas seu apoio à estratégia política do presidente do Sinn Féin, Gerry Adams, e de seu "número dois", Martin McGuinness, foi decisivo na hora de obter o apoio da maioria dos voluntários do IRA ao processo de paz.

Adams destacou hoje a "tremenda energia, generosidade, humor e liderança" de Keenan durante mais de 40 anos de serviço na "luta republicana".

"Seu sólido apoio à estratégia de paz do Sinn Féin foi crucial para obter o respaldo da liderança do IRA às históricas decisões que se tomaram durante os momentos mais difíceis do processo de paz", elogiou. EFE ja/fh/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG