Assunção, 30 ago (EFE) - A Polícia paraguaia informou hoje do seqüestro de um criador de gado brasileiro e de um peão de sua fazenda por parte de um grupo armado no departamento de Concepción, contíguo com o estado do Mato Grosso do Sul.

Os reféns são Américo Botelho Vieira, de 91 anos e integrante da Associação Rural do Paraguai (ARP), e de um peão de sua propriedade, cujo nome não foi divulgado, que foram seqüestrados na sexta-feira na localidade de Yby Yaú, em Concepción e 450 quilômetros ao nordeste de Assunção.

Eulalio Gómez, encarregado do escritório da ARP nessa zona, disse a emissoras de rádio de Assunção que o empresário é uma pessoa muito "conhecida e apreciada" e que "estão muito preocupados com a situação pela qual está passando".

As fontes policiais informaram ainda que os seqüestradores já teriam entrado em contato com os parentes da vítima e que, supostamente, exigiram um resgate de US$ 300 mil.

O seqüestro do brasileiro ocorre em um momento em que os organismos de segurança investigam um fato similar cometido em 1º de agosto contra o também empresário criador de gado Luis Alberto Lindstron, de 58 anos.

O seqüestro de Lindstron ocorreu em sua fazenda do departamento de San Pedro (centro) e, segundo a imprensa local, os seqüestradores também exigem US$ 300 mil por sua libertação. EFE rg/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.