Brasileiros identificam 11 corpos do voo 447 da Air France

Onze dos 50 corpos recuperados do avião da Air France que caiu no Oceano Atlântico há três semanas foram identificados graças às impressões digitais e à arcada dentária, informaram funcionários brasileiros ligados à investigação neste domingo.

AFP |

"São 10 brasileiros e um estrangeiro. O único estrangeiro identificado até o momento é de sexo masculino", informou a equipe legista do estado de Pernambuco através de um comunicado.

Não foram dados maiores detalhes sobre os trabalhos dos especialistas forenses.

O documento diz apenas que os familiares dos corpos identificados foram informados formalmente por oficiais da polícia entre a sexta-feira e o sábado e que a embaixada da vítima estrangeira também foi notificada.

Um necrotério especial montado em Recife recebeu 49 dos 50 corpos recuperados da zona do acidente, a 1.000 km do litoral do nordeste brasileiro, e o corpo que falta deve chegar de barco nesta segunda.

Todos eram passageiros do voo AF447 que caiu durante o trajeto Rio-Paris, no pior desastre da Air France em sua história. A lista de passageiros indica que viajavam pessoas de 32 nacionalidades; entre eles 72 franceses, 59 brasileiros e 26 alemães.

O comunicado indica que, uma vez identificados, os corpos serão entregues às famílias para que se procedam aos funerais.

As autoridades disseram que ainda esperam por informações adicionais que permitam a identificação de estrangeiros.

"A falta de informação prévia explica o baixo número de estrangeiros identificados", afirma o comunicado.

As autoridades brasileiras advertiram que têm poucas esperanças de achar mais restos ou partes do avião.

De fato, o avião militar brasileiro R99, especializado em rastreamentos noturnos, foi retirado das operações de busca dos restos do Airbus da Air France desaparecido no Oceano Atlântico há três semanas, anunciou no sábado o Exército em um comunicado.

"O R99 voou mais de cem horas e cumpriu um papel fundamental na operação, principalmente em sua fase inicial", afirma o exército, referindo-se ao aparelho que permitiu localizar os primeiros restos do voo 447.

O Embraer R99 da Força Aérea brasileira é um avião do tipo Awac construído em um bimotor executivo de fabricação brasileira e idealizado para vigiar a Amazônia.

Enquanto isso, a operação francesa que busca as 'caixas pretas' do avião continuam em andamento.

A operação inclui um submarino nuclear, que tenta detectar os sinais enviados pelos gravadores de bordo. A emissão desses sinais deve cessar ainda esta semana.

rmb/tlp/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG