Londres, 9 fev (EFE).- Os turistas brasileiros continuarão precisando apenas do passaporte para visitar o Reino Unido, informou o Governo britânico, que hoje tirou Bolívia, Venezuela e mais três países africanos de seu programa de isenção de vistos.

Em julho do ano passado, o Reino Unido havia incluído o Brasil numa lista com nomes de 11 nações que precisavam melhorar os sistemas de segurança e identificação dos documentos de seus cidadãos.

Mas, nesta segunda-feira, o Ministério do Interior britânico informou que, da lista divulgada em 2008, apenas Bolívia, Venezuela, Lesoto, África do Sul e Suazilândia não cumpriram os requisitos estabelecidos na revisão anual do programa de isenção de vistos do país Desta forma, os turistas destas cinco nações que quiserem visitar o Reino Unido agora terão que pedir visto.

Em nota, o Ministério do Interior britânico disse que "a extensão na exigência de vistos é só uma de uma série de medidas que o Governo implementou para reforçar a segurança na fronteira e permitir a entrada no país apenas das pessoas que o Reino Unido quer e precisa".

Todos os países não europeus tiveram revisada sua participação no programa britânico de isenção de vistos. O objetivo da medida foi avaliar o nível de risco que os cidadãos destas nações representam para o Reino Unido em relação à imigração ilegal, à criminalidade e à segurança Até hoje, bolivianos e venezuelanos precisavam de visto apenas para trabalhar ou fixarem residência no Reino Unido. Porém, com a mudança, precisarão do sinal verde das autoridades britânicas mesmo para estadas inferiores a seis meses em solo britânico.

No caso da Venezuela, continuarão isentos de vistos os turistas que tiverem passaportes emitidos a partir de 2007 e com impressões digitais digitalizadas.

Sobre o assunto, o secretário de Estado de Fronteiras e Imigração do Reino Unido, Phil Woolas, fez a seguinte declaração: "O Governo disse que seria duro e falava sério. A reorganização da segurança na fronteira já está dando resultados, com o registro de três milhões de impressões digitais de solicitantes de vistos e a detenção de três mil pessoas que tentavam falsificar sua identidade". EFE fpb/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.