Brasileiro morto em acidente no Egito era cabeleireiro do navio

O brasileiro que está entre as três vítimas de um acidente envolvendo um navio da empresa italiana Costa Cruzeiros era cabeleireiro e fazia parte da tripulação. Pier Luigi Foschi, presidente e diretor-executivo da Costa Cruzeiros, não identificou as vítimas, mas informou que o brasileiro tinha 34 anos. Os outros mortos são um hondurenho de 50 anos e um indiano de 31.

iG São Paulo |

Um companheiro de trabalho do brasileiro entrevistado pela agência Ansa disse que ele se chamava Reginaldo. "Estou muito triste. Era um caro amigo e soube de sua morte muito tarde, porque quando desci do navio havia muita água, estava na altura do joelho", disse Roberto de Pasquale, integrante da tripulação da embarcação.

"Perdi um amigo", reiterou Pasquale, que relatou que no momento da colisão estava dormindo, "quando alguém bateu na porta e, depois, vimos o corredor alagado".


Navio atingiu o cais na hora de atracar / AP


O acidente aconteceu na madrugada desta sexta-feira, quando o navio Costa Europa bateu contra o cais no momento em que iria atracar no balneário de Sharm el-Sheikh, no Egito. O cruzeiro de luxo levava cerca de 1.400 turistas de diversas nacionalidades e 147 tripulantes.

Foschi contou que os funcionários estavam dormindo no momento da colisão e suas cabines foram atingidas por uma parte do píer. O diretor da Costa Cruzeiros expressou ainda sua "comoção e participação na dor dos familiares dos três colegas, membros da tripulação, que perderam suas vidas nesse trágico acidente". 

Segundo ele, todos os passageiros e demais membros da tripulação passam bem. "Apenas duas pessoas ficaram feridas em consequência direta do impacto do navio: uma passageira inglesa, que bateu contra uma porta, e um funcionário, que ficou ferido enquanto tentava deixar o local".

Sobre o italiano que foi levado a um hospital da região, Foschi disse que ele sofria de uma gastrenterite, que o atacara no dia anterior. De acordo com o comandante da embarcação, Giancarlo Cha, o acidente foi provocado pelo mau tempo. "Uma rajada de vento muito forte nos impediu de governar o navio, o que nos fez bater".


Segundo testemunhas, ventava muito na hora do acidente / AP

Com Ansa

Leia mais sobre Egito

    Leia tudo sobre: brasileirosegito

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG