MADRI - A Guarda Civil espanhola deteve 15 pessoas de diversas nacionalidades, entre elas um brasileiro, por supostamente cometer fraudes bancárias pela internet que causaram um prejuízo total de quase US$ 550 mil.

Outras 39 pessoas também foram acusadas na operação, que se desenvolveu em seis províncias espanholas, informaram hoje fontes policiais.

A rede tinha realizado 90 operações de captura de dados bancários e senhas pela internet e enviava a maior parte do dinheiro roubado a países do Leste Europeu.

Além do brasileiro, estão entre os detidos vários moldávios e lituanos, assim como um argentino e um peruano. As operações fraudulentas tinham como vítimas empresas e pessoas físicas de diferentes províncias da Espanha.

A organização contava com colaboradores recrutados por meio de anúncios publicados em jornais russos e em fóruns virtuais da Rússia e Moldávia. Eles se encarregavam de abrir contas bancárias para as quais o dinheiro roubado era transferido e, em troca, recebiam uma comissão de entre 5% e 10% dessas quantias.

Quando o dinheiro chegava a essas contas, o retiravam e o remetiam por empresas de envio de dinheiro a membros da organização localizados principalmente na Moldávia, Ucrânia e Rússia.

Leia mais sobre fraudes na internet

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.