Brasileira grávida de gêmeos é atacada na Suíça

A brasileira Paula Oliveira, 26 anos, foi atacada por três homens em Zurique, na Suíça, na noite de segunda-feira. Um deles possuía uma suástica nazista tatuada na cabeça raspada. Paula, que estava grávida de gêmeos, abortou depois de sofrer golpes de estilete por todo o corpo.

Redação |

Segundo o pai da brasileira, Paulo Oliveira, o ataque aconteceu entre 19h10 e 19h30 (horário de Brasília), quando sua filha voltava do trabalho para casa. Devido ao inverno rigoroso, poucas pessoas estavam na rua.

Ela levou mais de cem estiletadas, no braço, na perna, no peito, no ventre, onde você possa imaginar, afirmou Oliveira, dizendo que a filha ficou em estado de choque. Em determinado momento, ela se refugiou no banheiro do metrô e ligou para o companheiro, que chamou a ambulância e a polícia.

Oliveira, que viajou a Zurique, disse que a filha está melhor fisicamente, mas emocionalmente péssima. Ela está tratando as sequelas do aborto e voltou ao hospital para tomar coquetel antiviral, já que não se sabe se o instrumento que a cortou estava contaminado de alguma forma, contou.

O pai da brasileira afirmou, ainda, que ela teria sido constrangida pela polícia durante o socorro. Eles disseram que ela seria processada caso estivesse mentindo (sobre o ataque), disse Oliveira.

Dizer isso para alguém em estado de choque não é uma atitude humanitária em nenhum lugar civilizado. Deveriam dar o atendimento, fazer os exames necessários e, caso restasse dúvidas, questionar, afirmou, acrescentando que ninguém faz tantas e tão sofisticadas marcas no próprio corpo.

Formada em Direito, Paula Oliveira trabalha em uma empresa de logística em Zurique. O pai, Paulo Oliveira, é secretário-parlamentar do deputado federal Roberto Magalhães (DEM-PE).

O consulado do Brazil em Zurique foi informado do crime na manhã de terça-feira. A cônsul Victoria Clever entrou em contato com as autoridades suíças e pediu uma apuração rigorosa e imediata do crime.

Pouco antes de ser atacada, a brasileira falava ao telefone com a mãe, em português. No domingo, a população da Suíça votava em um plebiscito para decidir se aprovava ou não o acordo de livre circulação de pessoas com a União Europeia, e a ampliação deste acordo para Bulgária e Romênia. O "sim" venceu com quase 60% dos votos.

    Leia tudo sobre: suíça

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG