Brasileira da Geórgia reage à ironia de russas no vôlei de praia

As brasileiras naturalizadas geórgias Christine Santanna e Andrezza Chagas derrotaram nesta quarta-feira de virada as russas Natalia Uryadova e Alexandra Shiryaeva no vôlei de praia na Olimpíada de Pequim. As duas duplas entraram abraçadas na quadra, para mostrar que o atual conflito bélico entre Geórgia e Rússia - que teria deixado mais de 100 mil pessoas refugiadas - não afetaria os ânimos das atletas.

BBC Brasil |

Mas o clima amistoso só durou até o fim da partida, vencida pelas representantes da Geórgia por dois sets a um (com parciais de 10-21, 22-20 e 15-12).

Após a derrota, as russas acusaram Christine e Andrezza de usar uma "bandeira de conveniência" ao defenderem a Geórgia.

'Eu me sinto geórgia'

"Eu não quero que isso se transforme em uma guerra entre nós", disse a brasileira naturalizada geórgia Christine Santanna.

"Nós não estamos jogando contra um time da Geórgia hoje", disse a jogadora Natalia Uryadova. "Se elas são geórgias, elas teriam certamente sido influenciadas (pelo conflito), mas certamente elas não são."

Alexandra Shiryaeva complementou: "Claro que elas não são geórgias. Elas nem sabem quem é o presidente geórgio."

Christine Santanna respondeu: "É claro que eu sei quem é o presidente. É Mikheil Saakashvili e eu estive com a esposa dele há dois dias na Vila Olímpica."

"Eu me sinto geórgia. Eu tenho um passaporte geórgio e um brasileiro e nós fizemos isso pelo povo da Geórgia. Eu realmente não queria esta situação entre as jogadoras. Eu as respeito."

O técnico geórgio de vôlei, Levan Akhtulediani, disse: "É melhor competir em quadra do que fora de quadra."

Na semana passada, diante do começo do conflito, a delegação olímpica da Geórgia cogitou deixar os jogos, mas seguiu o pedido do presidente do país e continuou na disputa.

Veja tudo sobre os Jogos Olímpicos de Pequim

    Leia tudo sobre: georgia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG