Brasileira agredida na Suíça segue internada, diz tio

BRASÍLIA - A brasileira Paula Oliveira, agredida na Suíça por supostos neonazistas na última segunda-feira, permanece internada. A informação foi confirmada pelo tio da vítima, Sílvio Oliveira, que mora em Recife e acompanha o caso por telefone.

Agência Brasil |

Ele relatou dificuldades para entrar em contato com o pai da brasileira, Paulo Oliveira, e disse não saber detalhes que justifiquem a nova internação, ocorrida no final da tarde da última quinta-feira

Sílvio afirmou que a volta de Paula para o Brasil ainda não está confirmada e que tudo depende da avaliação médica e do desenrolar das investigações. "Ela está muito abalada. Há apenas a intenção de voltar para o Brasil", disse.

Sobre o relatório divulgado ontem pela polícia suíça, ele destacou que o documento apenas confirmava a ocorrência e a busca por testemunhas. Segundo Sílvio, as autoridades no país voltaram a insistir que os fatos em torno do crime não estavam claros. "Esperamos agilidade", afirmou. A expectativa é que um novo relatório seja divulgado na manhã de hoje.

Paula estava grávida de gêmeos e já obteve a confirmação, pelo hospital, de que perdeu os bebês. Agora, será investigado se o aborto ocorreu antes ou após as agressões. No momento em que foi abordada pelos homens, Paula estaria falando ao telefone celular em português com a mãe ¿ o que reforça a hipótese de que o crime tenha sido cometido por um grupo xenófobo.

Leia mais sobre brasileira atacada na Suíça

    Leia tudo sobre: suíça

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG