Brasil será observador em sistema de integração centro-americano

Rio de Janeiro, 6 out (EFE).- O Brasil se integrará amanhã ao Sistema de Integração Centro-Americana (Sica) como país observador para aprofundar as relações com essa região, informou hoje o Governo.

EFE |

A incorporação será celebrada em um ato no Rio de Janeiro após uma reunião do ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, com os chanceleres dos países centro-americanos.

O Instrumento de Adesão do Brasil ao Sistema de Integração Centro-Americana será assinado por Amorim e pelo secretário-geral do Sica, Aníbal Quiñonez.

A integração do Brasil ao Sica na qualidade de observador regional cumprirá um desejo expressado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e os governantes das nações centro-americanas em maio, durante reunião em El Salvador.

O Sica, mecanismo de integração criado em 1991, tem como membros plenos Belize, Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Honduras, Nicarágua e Panamá - e a República Dominicana como país associado.

O mecanismo tem ainda Espanha, México e Taiwan como países observadores.

A adesão será assinada após a 1ª Reunião do Mecanismo Permanente de Consulta Política Brasil-Sica, também criado durante a visita de Lula a El Salvador há cinco meses.

A reunião de amanhã tem por objetivo "aprofundar a relação entre Brasil e América Central por meio do reforço da cooperação técnica, do aumento das relações comerciais e da intensificação do diálogo político sobre temas de interesse comum", disse em comunicado a Chancelaria brasileira.

Segundo a nota, os temas prioritários nesta agenda são a produção de biocombustíveis e a ampliação dos programas de combate à fome e à pobreza.

O Brasil, como maior produtor mundial de etanol a partir da cana-de-açúcar, pretende transferir sua tecnologia aos países da América Central. EFE cm/ab/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG