Brasil se oferece para sediar cúpula extraordinária da Unasul

Brasília, 2 abr (EFE).- O Brasil se ofereceu para organizar uma cúpula presidencial extraordinária da União de Nações Sul-americanas (Unasul), que pode ser realizada em maio, no Rio de Janeiro, informaram hoje fontes oficiais.

EFE |

A oferta brasileira busca superar as dificuldades dos países da região na definição de uma nova data para a cúpula, que inicialmente seria realizada em Cartagena (Colômbia), na semana passada.

Esse encontro foi adiado indefinidamente após a crise provocada pela operação militar colombiana em território equatoriano, em 1º de março, que deixou mais de 20 mortos, incluindo o "número dois" das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), conhecido como "Raúl Reyes".

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje que conversou sobre o assunto com seu homólogo colombiano, Álvaro Uribe, que a princípio teria aceitado a idéia, e garantido sua presença na reunião.

"Conversei com Uribe sobre a possibilidade de realização da Cúpula da Unasul no Brasil", disse o governante brasileiro.

"Seria uma cúpula extraordinária, para discutir especificamente os assuntos de integração e acordos que temos pendentes", disse à Efe o ministro de Relações Exteriores Celso Amorim.

O chanceler deu a entender que a intenção é conversar sobre assuntos em que os países já estejam de acordo, e evitar os pontos polêmicos.

Ele acrescentou que a data do encontro ainda está em negociação, para tentar conciliar as agendas de todos os presidentes.

O assessor da Presidência para Assuntos Internacionais, Marco Aurélio Garcia, confirmou que a reunião poderia ser realizada no início de maio, no Rio de Janeiro.

A Cúpula da Unasul havia sido convocada anteriormente para os dias 28 e 29 de março, em Cartagena. Por ocasião do evento, os governantes comprometidos com a criação do bloco tinham previsto discutir e assinar o Acordo Constitutivo deste novo mecanismo de integração, cuja formação está sendo discutida desde dezembro de 2004.

Nesse documento, ficaram estabelecidas as bases do processo de integração, assim como sua natureza, alcance e a estrutura institucional da Unasul.

A Unasul é uma iniciativa de Brasil, Argentina, Colômbia, Guiana, Paraguai, Uruguai, Bolívia, Chile, Equador, Peru, Suriname e Venezuela. EFE ed/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG