Brasil repatriará 400 famílias assentadas no norte da Bolívia

La Paz, 12 abr (EFE).- O Governo do Brasil repatriará nas próximas semanas cerca de 400 famílias que vivem ilegalmente no norte e no nordeste da Bolívia, informou hoje o vice-ministro de Terras boliviano, Víctor Camacho.

EFE |

O funcionário disse à Agência Efe que entre 2008 e 2009 uma pesquisa detectou que 350 famílias brasileiras vivem do lado boliviano da fronteira. No entanto, a estimativa é de que existam outras 50 famílias que não foram contabilizadas, mas que farão parte do plano.

Os brasileiros vivem principalmente no departamento de Pando, cuja capital, Cobija, faz fronteira com o Brasil, mas também estão alojados em assentamentos na região vizinha de Beni.

O vice-ministro disse que há poucos dias as autoridades do Brasil anunciaram que concretizarão a mudança dentro de um ou dois meses para áreas no Brasil onde receberão terras.

As conversas entre responsáveis dos dois países para que a mudança se concretize começaram em 2007.

"Nós acordamos que essa mudança deve ser feita com o maior respeito e devem estar asseguradas as áreas de terrenos que vão receber no Brasil", disse Camacho.

Segundo o vice-ministro, o Governo brasileiro e a Organização Internacional das Migrações fornecerão fundos para concretizar a mudança que, segundo sua opinião, aliviará as "tensões" existentes na região "entre irmãos bolivianos e brasileiros".

A legislação boliviana estabelece que nenhum estrangeiro pode viver ou adquirir terras a 50 quilômetros da fronteira. Por isso, os assentamentos brasileiros são considerados ilegais, algo que as autoridades do país reconheceram, segundo Camacho. EFE ja/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG