Buenos Aires, 17 fev (EFE).- O ministro de Assuntos Estratégicos, Roberto Mangabeira Unger, disse hoje em Buenos Aires que é preciso aproveitar a crise econômica global para democratizar a economia de mercado e reconstruir as instituições que a definem.

Mangabeira Unger concluiu hoje uma série de reuniões com empresários, dirigentes sindicais e funcionários do Governo argentino, com os quais decidiu criar "iniciativas binacionais" para dar uma resposta conjunta à crise global, e "começar a construir um ideário sobre um novo modelo de desenvolvimento" nos dois países.

O ministro afirmou que estas iniciativas concretas - em política industrial, política agrícola, em ciência e tecnologia e educação pública - exemplificam esses novos ideários e, uma vez definidas, serão lançadas imediatamente.

Mangabeira Unger considerou que a atual discussão mundial sobre a crise é "muito superficial" e está dominada por dois temas: a regulação dos mercados financeiros e as políticas fiscais e monetárias expansionistas.

Em sua opinião, este debate deveria focar também maneiras de enfrentar os desequilíbrios entre as economias, como reorganizar a relação entre o sistema financeiro e a produção, e como redefinir o vinculo entre recuperação da economia e redistribuição de renda.

"Temos de democratizar o mercado. Não basta regular a economia de mercado, é necessário democratizar a economia de mercado, reconstruir as instituições que a definem", assinalou.

Após um encontro com o ministro do Planejamento argentino, Julio de Vido, Mangabeira Unger ficou responsável por elaborar nos próximos dias uma minuta de entendimento para organizar a agenda de iniciativas entre Buenos Aires e Brasília.

O ministro, que almoçou hoje com dirigentes da União Industrial Argentina, se reuniu também nesta terça-feira com o ministro do Trabalho, Carlos Tomada, e com o governador da província de Buenos Aires, Daniel Scioli. EFE nk/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.