BRASÍLIA (Reuters) - O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, afirmou nesta terça-feira que seguirá pedindo ao presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, que reduza o número de hondurenhos na embaixada brasileira, onde se abriga desde que voltou ao país. Segundo Amorim, na semana passada, quando Zelaya chegou à embaixada em Tegucigalpa, havia 300 pessoas com ele e na segunda-feira esse número era de cerca de 60 partidários.

"Continuamos a exortar o presidente Zelaya e a senhora dele para que esse número seja reduzido", disse o ministro na Comissão de Relações Exteriores do Senado.

(Por Natuza Nery)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.