O governo brasileiro manifestou solidariedade para com o governo da Bolívia num momento em que uma explosão causou danos em parte de um gasoduto que leva gás ao mercado brasileiro e provocou a suspensão parcial do fornecimento. Diante das tensões entre alguns governadores bolivianos e o presidente Evo Morales, o Ministério das Relações Exteriores divulgou, nesta quarta-feira, nota oficial que diz que o governo brasileiro lamenta o recrudescimento da violência e dos atos de desacato às instituições e à ordem legal na Bolívia.

"O governo brasileiro se solidariza com o governo constitucional da Bolívia e espera que cessem imediatamente as ações dos grupos que lançam mão da violência e da intimidação."
As autoridades brasileiras apelaram ainda por moderação. "O governo brasileiro insta todos os atores políticos a que exerçam comedimento, respeitem a institucionalidade democrática e retomem os canais do diálogo e da concertação, na busca de uma solução negociada e sustentável."
Gás
"O governo brasileiro está tomando todas as medidas necessárias para garantir o abastecimento de gás no País", diz ainda a nota do Itamaraty.

A Petrobras também emitiu uma declaração explicando que "uma válvula de segurança do gasoduto da Transierra, que supre o Gasoduto Bolívia-Brasil, na região Yacuíba (Bolívia), foi bloqueada por manifestantes e teve suas funções suspensas".

"Também hoje, o campo de produção de Volta Grande, operado por outra empresa concessionária, foi invadido e teve sua produção paralisada. Essas ações afetaram parcialmente o fornecimento de gás natural da Bolívia para o Brasil, até esse momento sem impacto para o abastecimento brasileiro."
"A Petrobras está adotando medidas operacionais previstas em seu plano de contingência para reduzir o impacto dessas ações no abastecimento de gás natural no país."
"Adicionalmente, a Companhia toma as providências para recuperar, o mais rápido possível, os danos causados na válvula de segurança", concluiu a nota.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.